O Livro Perdido de Arquimedes

Em 1991, um pequeno livro de orações medieval foi leiloado. Milagrosamente, alguns escritos originais de Arquimedes, o brilhante matemático grego, foram descobertos escondidos sob o texto religioso. Através de um trabalho de investigação acadêmica com a ajuda da tecnologia moderna, este livro agora revela incríveis conceitos, idéias e teorias originais de Arquimedes – revelações que, se feitas mais cedo, poderiam ter reformulado o nosso mundo.

Muitas figuras históricas têm sido aclamadas como a frente de seu tempo. Poucas – se alguma – são ditas como séculos à frente de seu tempo. O Einstein de sua época, Arquimedes tinha uma compreensão sofisticada da matemática, e projetou máquinas de guerra para a sua cidade natal Siracusa para usar contra os invasores Romanos. Muitas obras de Arquimedes desapareceram durante a Idade Média, mas alguns sobreviveram para ajudar e inspirar a revolução científica nos séculos XVI e XVII. Um documento que parecia irremediavelmente perdido era seu tratado final “O Método”, que supostamente explicou como conseguiu seus brilhantes resultados e que não revelou em nenhum outro lugar. Agora, mais de 2200 anos depois, a descoberta do “Método” faz especialistas e cientistas sonharem com o que poderia ter acontecido se os pensadores renascentistas e outras grandes mentes conhecessem suas idéias e o que teriam sido capaz de fazer com elas.

A História do Número 1

Resumo do Documentário
A História do Número 1 faz um passeio pela história da matemática tendo
como personagem principal o número um. Esse representa o início de tudo, desde os
primeiros registros simbólicos grafados em ossos para exprimir quantidades em uma
sucessão de traços que permitia a contagem. Analisando os sumérios, o
documentário atribui à sua representação do número um em cones de argila como
responsável por possibilitar a representação da subtração e, assim, dar origem à
aritmética. Sobre os algarismos hindu-arábicos, o documentário defende que seria
mais correto denominá-los indianos, pois esses povos já utilizavam esse sistema
algorítmico milhares de anos antes de Cristo, e os árabes, nesse processo, foram
responsáveis por levá-los à Europa. Esses algarismos traziam uma novidade
revolucionária: o número zero, o qual passa a dividir as atenções com o personagem
principal do documentário. Como a representação do nada foi recebida pela
sociedade europeia, e porque o uso do zero revolucionou a representação tanto de
grandes quantidades quanto de muito pequenas são questões trabalhadas neste filme.
Além disso, a obra analisa como os números um e zero se tornaram os responsáveis
por uma das mais importantes revoluções do conhecimento humano: a
informatização.

GRAVIDADE

A gravidade é uma das quatro forças fundamentais da natureza (junto com a força forte, eletromagnetismo e força fraca) em que objetos com massa exercem atração uns sobre os outros.Classicamente, é descrita pela lei de Newton da gravitação universal. Foi entendida primeiramente de modo matemático pelo físico inglês Isaac Newton e desenvolvida e estudada ao longo dos anos.

Gênios do Oriente – História da Matemática

Primeira parte do Episódio Os Gênios do Oriente da série A História da Matemática, em que Marcus du Sautoy, doutor em Matemática pela Universidade de Oxford, nos leva em uma viagem pela história dessa disciplina fundamental. Sem a Matemática teria sido inviável o desenvolvimento da física, química ou astronomia. Basicamente todos os campos do conhecimento dependem de estatísticas, geometria ou cálculo, por mais básicos que sejam. Marcus nos mostra como a Matemática fez parte do princípio da intelectualidade nas antigas civilizações.
Assunto abordados neste trecho: Muralha da China; sistema de numeração chinês (sistema de casas decimais); conceito do zero; quadrado mágico; padrões; calendário; progressão geométrica; equações; teorema chinês dos restos; criptografia; Ting Ju Shao; equacões cúbicas; sistema de numeração indiano; zero; Brahmagupta; Bhaskara; números negativos; equações do segundo grau; Fermat; trigonometria; triângulos retângulos, função seno.
Fonte: TV Escola.

Segunda parte do Episódio Os Gênios do Oriente da série A História da Matemática, em que Marcus du Sautoy, doutor em Matemática pela Universidade de Oxford, nos leva em uma viagem pela história dessa disciplina fundamental. Sem a Matemática teria sido inviável o desenvolvimento da física, química ou astronomia. Basicamente todos os campos do conhecimento dependem de estatísticas, geometria ou cálculo, por mais básicos que sejam. Marcus nos mostra como a Matemática fez parte do princípio da intelectualidade nas antigas civilizações.
Assunto abordados neste trecho: triângulo retângulo; função seno; Madhava, infinito; Pi; Arrabbiata; Al-Khwarizmi; álgebra; Omar Khayyām, equações cúbicas; Fibonacci; números de Fibonacci; Bolonha; Tartaglia; Cardano; Ferrari.
Fonte: TV Escola.

O livro perdido de Arquimedes

Em 1991, um pequeno livro de orações medieval foi leiloado. Milagrosamente, alguns escritos originais de Arquimedes, o brilhante matemático grego, foram descobertos escondidos sob o texto religioso. Através de um trabalho de investigação acadêmica com a ajuda da tecnologia moderna, este livro agora revela incríveis conceitos, idéias e teorias originais de Arquimedes – revelações que, se feitas mais cedo, poderiam ter reformulado o nosso mundo.

Muitas figuras históricas têm sido aclamadas como a frente de seu tempo. Poucas – se alguma – são ditas como séculos à frente de seu tempo. O Einstein de sua época, Arquimedes tinha uma compreensão sofisticada da matemática, e projetou máquinas de guerra para a sua cidade natal Siracusa para usar contra os invasores Romanos. Muitas obras de Arquimedes desapareceram durante a Idade Média, mas alguns sobreviveram para ajudar e inspirar a revolução científica nos séculos XVI e XVII. Um documento que parecia irremediavelmente perdido era seu tratado final “O Método”, que supostamente explicou como conseguiu seus brilhantes resultados e que não revelou em nenhum outro lugar. Agora, mais de 2200 anos depois, a descoberta do “Método” faz especialistas e cientistas sonharem com o que poderia ter acontecido se os pensadores renascentistas e outras grandes mentes conhecessem suas idéias e o que teriam sido capaz de fazer com elas